DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL E TEMPORAL DE UMA COMUNIDADE DE ANFÍBIOS ANUROS DO MUNICÍPIO DE RIO CLARO, SÃO PAULO, BRASIL

Luis Felipe Toledo, Juliana Zina, Celio Fernando Baptista Haddad

Resumo


A compreensão da composição e inter-relações das comunidades faunísticas são fundamentais para a execução de medidas conservacionistas em ambientes florestais.
No presente estudo nos avaliamos a comunidade de anfíbios de uma floresta estadual no município de Rio Claro, SP, com enfoque na biologia reprodutiva. Foram registradas 21
espécies, de quarto famílias: Bufonidae, Hylidae, Leptodactylidae e Microhylidae. As espécies da família Bufonidae reproduziram durante a estação fria e seca do ano e as demais somente durante a estação quente e chuvosa. Além de segregação temporal, algumas espécies dividiram o ambiente físico durante o período reprodutivo. Acentuada
sobreposição temporal e espacial foi observada entre espécies filogeneticamente próximas, como entre Hyla nana e H. sanborni, entre Scinax fuscovarius e Scinax sp.
(aff. similis), e entre Leptodactylus fuscus, L. mystacinus, e Leptodactylus sp. (gr. fuscus). Nestes casos, diferenças acústicas podem ter sido o principal fator responsável pela
segregação reprodutiva. Ausência de segregação reprodutiva foi observada entre espécies do gênero Bufo, as quais foram vistas em amplexo interespecífico, apesar das diferenças
acústicas entre seus cantos de anúncio.

Palavras-chave


Historia natural. Segregação temporal. Espacial e acústica. Anura.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/holos.v3i2.1126

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia