O isolamento social efetivamente impacta a qualidade do ar? o caso de Campinas – SP

Rafael Possari Macorin, Danilo Covaes Nogarotto, Simone Andréa Pozza

Resumo


A poluição do ar é considerada um dos maiores problemas ambientais e de saúde do mundo. Ao longo dos anos ocorreram diversos eventos que foram responsáveis por causar alterações na qualidade do ar. Com o surto da doença COVID-19 e o rápido aumento do número de casos positivos que se espalhou pelo mundo, tornando a doença uma preocupação em escala internacional, diversos países adotaram medidas de restrição para diminuir a propagação do vírus. No Brasil, após declarado estado de emergência à saúde pública no país, foi adotado o distanciamento social, em março de 2020. Neste estudo foi analisado o impacto das medidas de distanciamento social na qualidade do ar e a variação nas concentrações de material particulado (MP10 e MP2,5), em três estações de monitoramento na cidade de Campinas (SP). Foram comparados dados do período de quarentena, do ano de 2020 e os valores obtidos no mesmo período de 2019, antes da pandemia. Os níveis de material particulado foram reduzidos no começo da quarentena e depois apresentaram um aumento, devido a redução da taxa de isolamento social na cidade. O estudo mostrou, por meio do modelo de regressão linear, que existe relação significativa entre a concentração de material particulado e a taxa de isolamento social, porém foi uma fraca correlação.


Palavras-chave


COVID-19. Distanciamento social. Poluição do ar. Material particulado.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v21i3.12456

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia