TOXICIDADE DE SOLO DE “LANDFARMING” DE REFINARIA DE PETRÓLEO TRATADO COM ALGAS PARA A MINHOCA Eisenia fetida

Acacio Aparecido Navarrete, Marcos Aparecido Pizano, Orlando Necchi Júnior, Antônio Carlos Simões Pião, Dejanira Fransceschi de Angelis

Resumo


A toxicidade para a minhoca Eisenia fetida de amostras de solo de landfarming de refinaria de petróleo foi avaliada em solo inoculado com comunidades de algas alóctones isoladas de solo limpo. Amostras do solo de landfarming da Refinaria de Petróleo de Paulínia (REPLAN/PETROBRAS) foram mantidas sob saturação hídrica em bandejas plásticas, em Casa de Vegetação, durante 180 dias e submetidas à inoculação algal, incorporação e remoção do crescimento algal visível. Decorridos 30 dias da inoculação, os membros das comunidades com crescimento ativo no início da colonização foram identificados ao nível gênero: Anabaena, Chroococcus, Scytonema e Lyngbya (Cyanophyta), Klebsormidium, Mougeotia e Oedogonium (Chlorophyta) e Navicula (Bacillariophyta). A toxicidade para E. fetida foi avaliada em amostras do solo de landfarming selecionadas ao acaso. Não sendo observado o efeito agudo, o efeito na biomassa de espécimes adultos da minhoca foi avaliado, indicando destoxicação do solo de landfarming quando submetido à remoção do crescimento algal visível, após 180 dias da inoculação. Os resultados deste estudo indicam que efeitos subletais na biomassa da minhoca E. fetida são capazes de fornecer medidas efetivas para o monitoramento da toxicidade do solo durante o processo de remediação.

Palavras-chave


Eisenia Fetida; Efeitos Subletais; Destoxicação; Landfarming; Resíduo Oleoso

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v9i1.1984

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia