PROCESSOS DE PRODUÇÃO DE COMPOSTOS DE LIXO E A SUA QUALIDADE COMO FERTILIZANTE ORGÂNICO

Fabio Cesar da Silva, José Carlos Chitolina, Serafim Daniel Ballestero, Soraya Despina Santos Voigtel, José Roberto Baulio de Melo

Resumo


A compostagem do lixo orgânico realizado de maneira correta apresenta ganhos reais à sociedade e benefícios incontestáveis para o gerenciamento público de resíduos sólidos no município. Os sistemas FABER-AMBRA® de pré-tratamento de resíduos sólidos domiciliares e DANO de compostagem de resíduo orgânico foram comparados, em termos de qualidade dos compostos orgânicos gerados para uso na agricultura. O sistema DANO utiliza um cilindro rotativo para acelerar a taxa inicial de compostagem e está sendo aplicado nas cidades de São José dos Campos e de São Paulo (Vila Leopoldina). Os materiais permanecem dentro dos bioestabilizadores por dois a três dias com velocidade de rotação superior a 1,5 rpm. O produto resultante é chamado de pré-composto e não possui qualidade suficiente para uso agrícola “in natura”, devido a sua maturação incompleta e à carga patogênica elevada. Portanto, torna-se necessário terminar a compostagem em leiras, mantendo esses materiais nos pátios para atingir o nível de maturação aceitável para fins agrícolas. Na unidade de Vila Leopoldina, utiliza-se o processo DANO modificado com aumento na velocidade ou com menor período de permanência do material orgânico nos bioestabilizadores, necessitando assim, de um maior tempo nos pátios, para a maturação. O material bioestabilizado produzido pelo sistema FABER-AMBRA®, em São Sebastião-SP, com seis a nove meses de maturação, tem as características de maturidade adequadas para reduzir o volume e a carga orgânica e, conseqüentemente, aumentar a vida útil do aterro, possuindo, no entanto, teores de metais pesados altos para serem utilizados como fertilizantes orgânicos a serem aplicados na agricultura.

Palavras-chave


Compostagem. Resíduos sólidos urbanos. Saneamento ambiental. Metais pesados. Agricultura

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v5i2.317

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia