AVALIAÇÃO DA BIODEGRADAÇÃO NO SOLO DE RESÍDUOS GERADOS EM REFINARIA DE PETRÓLEO

Cassiana Maria Reganhan Coneglian, Antonio Roberto Siviero, Elaine Cristina Catapani Poletti, Josiane Aparecida de Souza Vendemiatti, Geraldo Dragoni Sobrinho, Marcela da Silva Ribeiro, Dejanira de Franceschi de Angelis, Luis Tadeu Furlan, Renato Almeida Gonçalves

Resumo


Existem inúmeros tipos de sistemas de tratamento para promover a degradação dos resíduos de petróleo. Entre os mais conhecidos e utilizados destaca-se o “landfarming”, que consiste na biodegradação aeróbia de resíduos que são aplicados no solo e incorporados nas camadas superficiais. O processo de “landfarming” utiliza a atividade dos microrganismos do solo para degradar e/ou imobilizar os vários componentes dos resíduos. Este trabalho foi desenvolvido no Centro Superior de Educação Tecnológica – CESET/UNICAMP, com o objetivo de verificar a
biodegradação da borra oleosa resultante do processo de refino de petróleo e o lodo biológico resultante do processo de tratamento do efluente industrial da Refinaria de
Paulínia, SP, em solo de “landfarming”. Mediante a análise dos resultados, verificouse que se adicionando borra oleosa no solo, a biodegradação foi mais eficiente. Aplicando-se o lodo biológico nas mesmas taxas da borra oleosa, a respiração ocasionada pela biodegradação não sofreu diferenças quantitativas. A aplicação combinada da borra oleosa e lodo biológico misturados na proporção de 1:1
propiciou melhoria na eficiência de respiração, no entanto não superou aquela emitida pelo solo quando apenas a borra oleosa foi aplicada. Concluiu-se que o solo do “landfarming” apresenta uma microbiota autóctone com capacidade de degradar vários compostos presentes nos resíduos de refinaria de petróleo. Para melhor eficiência da biodegradação a taxa de aplicação dos resíduos no solo é um fator limitante.

Palavras-chave


Respirometria. Biodegradação. “Landfarming”. Tratamento de resíduos. Petróleo.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/holos.v6i2.558

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia