CLASSIFICAÇÃO DOS RIOS DA AMAZÔNIA: UMA ESTRATÉGIA PARA PRESERVAÇÃO DESSES RECURSOS

Maria do Socorro Rocha da Silva, Sebastião Átila Fonseca Miranda, Roberto Naves Domingos, Sergio Luiz Rodrigues Silva, Genilson Pereira Santana

Resumo


A classificação dos rios da Amazônia vai auxiliar na gestão e preservação desses recursos. O estudo avaliou as variáveis, cor, pH, oxigênio dissolvido (OD), turbidez e íon amônio (NH4+) nos rios da Amazônia e comparou aos padrões estabelecidos na classe 2 da Resolução nº 357/2005, do CONAMA. Foram coletadas 228 amostras em 17 locais ao longo do rio Amazonas e em 39 tributários, no período de outubro/2008 a novembro/2011. No rio Amazonas e tributários, o pH variou de 4,51 a 7,53 e OD com valores inferiores a 5,0 mg/L. Nos rios de águas pretas, que nascem nos escudos das Guianas e do Brasil Central, as águas são, em sua maioria, ácidas com pH < 6,0 e a cor apresenta valores acima 75 mg Pt/L, devido à presença de substâncias húmicas e fúlvicas originadas da decomposição vegetal. Os valores de NH4+ nas águas dos rios da Amazônia não excederam 0,9 mg/L, sendo que a Resolução nº 357/2005, estabelece para pH <7,5 valores de no máximo 3,7 mg/L. É importante conhecer a dinâmica desses rios e compreender suas características diferenciadas.

Palavras-chave


Bacia Amazônica; Gestão de Recursos Hídricos; Rios da Amazônia; Qualidade da Água

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v13i2.7344

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia