Emprego do sistema de lodo ativado para tratamento de efluentes da indústria de conserva de cogumelos

Diego Macedo Veneu, Bruna Camargo Rocha, Cristiane Ribeiro Mauad, Jonas dos Santos Pacheco, Cristiani Hertel

Resumo


Neste trabalho foi avaliado o tratamento de um efluente de conserva de cogumelos através do processo de lodos ativados em sistema contínuo. Foram avaliadas as variáveis respostas DQO, turbidez e pH, além do monitoramento da concentração de SST no reator. Nos primeiros 12 dias de operação houve uma forte variação de DQO no efluente final obtendo remoções < 90%, após este período, as remoções aumentaram, atingindo remoções > 97%. Os valores obtidos de SST no reator aproximam-se mais da variante lodos ativados convencional apresentando do 6º dia ao 24º dia de operação, os valores na faixa de 2198 a 3620 mg L-1. Os percentuais de remoção de turbidez praticamente mantiveram-se na faixa de 50 a 82%. Os valores de pH inicial (entrada no reator) no início do processo de lodos ativados variaram entre os valores de 2,9 a 5,2. Já os valores de pH final, ou seja, na saída do decantador secundário mantiveram-se na faixa de 6,8 a 8,0, muito próximo da faixa recomendada de operação.


Palavras-chave


Tratamento de efluentes. Lodos ativados. Indústria de conserva.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/holos.v18i1.12178

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia