PRODUÇÃO DE XILANASE POR FUNGOS FILAMENTOSOS ISOLADOS DO SOLO DA ESTAÇÃO ECOLÓGICA DE JURÉIA-ITATINS, SP, BRASIL

Marcelo José Silveira Ruegger, Sâmia Maria Tauk Tornisielo

Resumo


Os fungos vêm despertando crescentes interesses em virtude de elaborarem compostos economicamente importantes, tais como: alimentos, solventes, enzimas, vitaminas, antibióticos, ácidos graxos, dentre outros produtos, justificando sua aplicação biotecnológica. Estudos da potencialidade de espécies pertencentes as regiões ainda pouco exploradas devem ser incentivadas, como é o caso da Estação Ecológica de Juréia-Itatins (EEJI), SP, Brasil, onde há enorme biodiversidade, porém em parte ainda desconhecida. Desta forma, o presente estudo apresenta resultados preliminares da atividade enzimática da xilanase (E.C. 3.2.1.8) que foi avaliada em oitenta linhagens de fungos isolados do solo da EEJI, na região do Banhado Grande. Os fungos foram
cultivados em farelo de trigo por quatro dias a 25oC. As enzimas liberadas no meio de cultura foram extraídas com 30 ml de água gelada e a atividade da xilanase foi avaliada
em unidades internacionais (UI) de enzima necessária para liberar um m mol de xilose por mililitro por minuto, nas condições do ensaio. A melhor atividade da xilanase
(1.219,8 UI g-1) foi obtida utilizando-se Trichoderma inhamatum I.

Palavras-chave


Atividade da xilanase. Fungos filamentosos. Estação Ecológica. Trichoderma inhamatum.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/holos.v2i2.1219

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia