RESPOSTAS DAS TROCAS GASOSAS DE Annona emarginata (SCHLTDL.) H. RAINER SOB DÉFICE HÍDRICO

Thayssa Rabelo Schley, Luís Paulo Benetti Mantoan, Angélica Lino Rodrigues, Thais Arruda Costa Joca, Gisela Ferreira

Resumo


Amplamente utilizado como porta enxertos para Anonáceas de importância econômica, o araticum- de-terra-fria (Annona emarginata) apresenta tolerância à seca. No entanto, estudos sobre as respostas fisiológicas dessa espécie a condições ambientais adversas são escassos. O objetivo deste estudo foi avaliar as trocas gasosas em plantas de A. emarginata submetidas ao défice hídrico. Portanto, plantas foram submetidas a dois tratamentos: controle e estresse hídrico. Mediu-se as trocas gasosas 12 dias após a suspensão da irrigação. O estresse hídrico promoveu reduções em todas variáveis analisadas, com exceção da concentração de carbono interno (Ci) que aumentou. Quando condutância estomática (gs) diminui e Ci aumenta ou permanece constante, a diminuição na assimilação de carbono pode ser atribuída a fatores não-estomáticos. Embora a redução da gstambém possa colaborar para esse decréscimo, a diminuição das taxas fotossintéticas em plantas estressadas de araticum-de-terra-fria é resultante da diminuição da eficiência de carboxilação. 


Texto completo:

PDF


Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia