BIODEGRADAÇÃO DE CORANTES E EFLUENTES TÊXTEIS POR FUNGOS

Aline Ramalho Brandão Pereira, Frank Lucarini Bueno, Samantha Cristine Santos, Cláudio Antônio Andrade Lima, Amanda Latércia Tranches Dias

Resumo


Os resíduos da indústria têxtil se caracterizam por sua baixa degradabilidade, alto potencial mutagênico e carcinogênico, podendo atingir o meio ambiente e a saúde pública. O emprego de fungos, principalmente, basidiomicetos degradadores de lignina, tem sido cada vez mais utilizado devido à produção de enzimas ligninolíticas de baixa especificidade, que podem ser aplicadas na degradação de compostos fenólicos. A triagem de fungos provenientes de ambientes contaminados também é de grande importância para a seleção de microrganismos com potencial degradativo, pois, se os mesmos conseguem proliferar neste ambiente, certamente possuem um sistema enzimático que lhes permita metabolizar as espécies químicas presentes no local. O objetivo deste trabalho foi isolar fungos da estação de tratamento de efluentes de indústrias têxteis e avaliar a degradação de corantes e efluentes por estes fungos e por fungos com capacidade degradativa conhecida. Os fungos padrões utilizados foram Lentinula edodes e Paraconiothyrium estuarinum. Os corantes em estudo foram Remazol Brilliant Blue R (RBBR), Reactive Yellow 145, Reactive Red 195 e efluente têxtil. A mesma espécie fúngica (Geothricum candidum) foi isolada do tanque de aeração de ambas as indústrias têxteis investigadas. Foram feitos testes em meio sólido e líquido, sob diferentes condições de incubação e pH. Foi observada melhor capacidade degradativa nas amostras sob agitação. O fungo isolado da estação de tratamento não degradou o corante RBBR, porém, demonstrou capacidade de degradação do efluente em pH 9, a 35°C e na presença de tampão acetato de sódio. Lentinula edodes degradou todos os corantes e efluentes, e os melhores resultados foram obtidos em pH 5 na presença de tampão. O fungo Paraconiothyrium estuarinum não degradou o corante RBBR, porém, apresentou capacidade degradativa considerável dos corantes Reactive Yellow 145 e Reactive Red 195. A partir destes resultados, há perspectivas de utilização destes fungos no tratamento de efluentes têxteis, inoculando aqueles com capacidade degradativa conhecida durante o tratamento ou criando condições para que os existentes no local cresçam e degradem os compostos existentes.

Palavras-chave


Isolamento de fungos; biodegradação;efluentes têxteis; corantes têxteis; fungos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14295/holos.v10i2.2156

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia