CARACTERIZAÇÃO DE COMPOSTOS DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS ORGÂNICOS DE UNIDADES DE RECICLAGEM E COMPOSTAGEM DOS MUNICÍPIOS DE SÃO PAULO E DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

Fabio Cesar da Silva, Cássio Hamilton Abreu Jr., José Carlos Chitolina, Antonio Carlos Basso, Keyla Boralli, Carolina Façanha Wendel

Resumo


A compostagem de resíduos sólidos urbanos é importante para uma gestão ambiental sustentável. Tal prática reduz o volume e a carga de resíduos que são enviados para os aterros sanitários. Objetivou-se, com este estudo, avaliar a qualidade de compostos de resíduos urbanos produzidos nas usinas de reciclagem e compostagem (URC) de São Matheus, Vila Leopoldina e São José dos Campos, SP. Durante nove meses, foram coletadas amostras dos compostos originais oriundos do sistema DANO de pré-tratamento de cada URC. Para se avaliar o grau de maturação e qualidade dos compostos, uma fração das amostras originais foi compostada por mais 150 dias. Foram comparados os teores de carbono orgânico, nutrientes e metais pesados entre compostos originais e maturados. Os compostos produzidos nas URCs São Matheus e Vila Leopoldina apresentavam baixo grau de maturação, ou seja, representavam os respectivos resíduos sólidos urbanos. Contudo, quando estes resíduos foram devidamente compostados, proporcionaram compostos com teores de carbono orgânico (> 150 g kg 1) adequados para o registro como fertilizante orgânico classe C. Todos os compostos apresentaram ampla variabilidade temporal na composição química, com teores mínimos de Ca e Fe adequados para serem declarados como fonte destes nutrientes e o teor de Cr abaixo do limite máximo admitido pela legislação. Não obstante, somente o composto da UCR São José dos Campos, oriundo de coleta seletiva, apresentou teores de Cd, Ni e Pb adequados para classificação como fertilizante orgânico. Concluiu-se que a coleta seletiva dos resíduos sólidos urbanos orgânicos e a compostagem com critérios técnicos são procedimentos essenciais para a obtenção de composto com propriedades adequadas para enquadrá-lo como fertilizante orgânico, agregando valor econômico aos processos, e tornando a gestão dos resíduos sólidos urbanos viável economicamente.

Palavras-chave


Compostagem; Legislação sobre Fertilizante Orgânico; Metais Pesados; Política Nacional de Resíduo Sólido

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v12i2.4642

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia