CONSERVAÇÃO DE ESPÉCIES EM ÁREAS VERDES URBANAS: O CASO DE FICUS L. (MORACEAE) E SUAS VESPAS POLINIZADORAS

Cecília B. Pereira, Cristiana Koschnitzke, Anderson F. P. Machado, Fernando H. A. Farache

Resumo


A conservação ex situ em áreas verdes contribui para a redução da perda de diversidade, no entanto, há uma lacuna no conhecimento da reprodução de plantas em ambientes diferentes do seu local de origem. O Horto Botânico do Museu Nacional - UFRJ (HBMN) é uma área verde localizada na cidade do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil, e possui várias espécies de Ficus. O objetivo deste trabalho foi verificar se as vespas polinizadoras, específicas para cada espécie, estão presentes no HBMN. Existem 19 espécies, nove exóticas e dez nativas. Das nativas, três são indivíduos que ainda não produziram sicônios; cinco têm seus polinizadores específicos; e F. pertusa e F. pulchella não apresentaram seus polinizadores. Considerando que, a maioria das espécies nativas tem seu polinizador específico, o HBMN, se associado a outras áreas próximas, pode ser um local efetivo para a conservação do Ficus. 


Texto completo:

PDF


Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia