MAPEAMENTO DA VULNERABILIDADE NATURAL À POLUIÇÃO DOS RECURSOS HÍDRICOS SUBTERRÂNEOS DE ARARAQUARA (SP)

Fábio José Meaulo

Resumo


O crescimento desordenado dos centros urbanos tem resultado em sérios problemas ambientais. Os problemas ambientais podem ser minimizados e/ou evitados a partir de estudos específicos no meio físico. A área de estudo de 270 Km2 abrange a zona urbana e parte da zona rural do município de Araraquara (SP) que está inserida no contexto geológico da Bacia Sedimentar do Paraná, representada pelas
litologias das formações Botucatu, Serra Geral, Adamantina, Cobertura Recente (sedimentos inconsolidados) e unidades aqüíferas correspondentes. Os procedimentos metodológicos adotados foram: revisão bibliográfica; trabalhos de campo; trabalho laboratorial; integração dos dados e análise dos resultados do Método GOD de mapeamento da vulnerabilidade natural de aqüíferos (FOSTER et al. 2002). Os
índices de vulnerabilidade natural das unidades geológicas são: Alta, para as formações Botucatu e Serra Geral, Baixa a Moderada para a Formação Adamantina e Extrema, para os sedimentos recentes.

Palavras-chave


Mapeamento. Vulnerabilidade natural. Aqüíferos. Água subterrânea. Planejamento urbano.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/holos.v6i2.534

Creative Commons License
HOLOS ENVIRONMENT, Rio Claro, SP, Brasil - - - eISSN (eletrônico): 1519-8634 - - - está licenciada sob Licença Creative Commons

> > > > >
 




Filiado ao Portal de Periódicos CAPES



Filiada à Associação Brasileira de Editores Científicos a partir de 2010

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia